Hoje, os Planos e Projetos de Habitação tem apresentado novas possibilidades de desenvolvimento socioambiental, ampliando objetivos antes apenas relacionados à área habitacional. Contemplando ações que se desenvolvem em três eixos: Educação Sanitária e ambiental, mobilização e organização comunitária, trabalho e renda.

O I.A.T. desenvolve uma metodologia própria baseada numa educação voltada para o ambiente e que tem como princípio norteador o planejamento participativo, ao buscar o desenvolvimento da capacidade de ação dos sujeitos envolvidos, possibilitando que eles sejam os protagonistas de sua própria formação fomentando Planos, Programas e Projetos sociais.

Apontamos algumas ferramentas do Planejamento Participativo como, por exemplo, o DRP (Diagnóstico Rápido Participativo), Mapa Verde, Eco escola e a Agenda 21, que possibilitam através de reuniões, oficinas e atividades a formação de grupos, com o envolvimento e gerenciamento deste processo.

A necessidade de desenvolvimento de projetos que visem à sustentabilidade das relações entre a sociedade e o meio ambiente, já são previstos em normativos da Caixa Econômica Federal que em suas ações  obrigatoriamente necessitam de um Projeto Técnico de Trabalho Social – PTTS, com a participação de profissionais qualificados na área de Serviço Social que integram  equipes multidisciplinares.

Essa é uma prática que vem sendo adotada por diversas organizações que pensam nas gerações futuras, priorizando as boas práticas socioambientais.

A questão da participação da comunidade através da manifestação de seus interesses e desejos é nossa preocupação, pois leva a compreensão das  expectativas e indicam alternativas de possíveis melhorias de qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *